Coleciona

Destaques:

sábado, 31 de janeiro de 2015

Fotos dos nossos leitores - Parte 142!

As "Fotos dos Nossos Leitores" continuam sendo um enorme sucesso, e se você nos mandou um email e suas fotos ainda não foram mostradas aqui, saiba que todos os emails recebidos serão postados, mas demora um tempo pra isso! Veja tudo o que já rolou por aqui neste link.

Se você quer nos enviar fotos, mande um email para contato@t-hunted.com.br e aguarde até conseguirmos colocar no ar! Abaixo mais algumas:

• O Garcia Junior nos mostra parte da sua coleção DC Universe:

• A Thaynara Leal tem algumas customizações para dividir conosco:

• O Marcio Jurandir Freitas de Feira de Santana (BA) também tem algumas miniaturas personalizadas:

• O Adamu Halley de Osasco (SP) customiza seus carros, e faz maquetes:

• E o Cleverson Campos de Presidente Prudente (SP) nos mostra um pouco de sua coleção:

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O plástico vai substituir o metal nas réplicas de carros?

Pelo menos é isso que a marca AUTOart está fazendo com suas réplicas a partir de agora. Eles fizeram um anúncio através da sua página do Facebook, e já estão mostrando alguns dos novos produtos na feira de Nuremberg nesta semana, para mostrar que só existem vantagens nesta nova tecnologia.

Os novos modelos serão produzidos com um interior feito de metal, e com o corpo da miniatura em ABS (“Acrylonitrile Butadiene Styrene”), uma espécie de plástico com uma mistura de diversos componentes para reforçar a estrutura externa da réplica. Em comparação com o zinco usado anteriormente nos carros da AUTOart, o ABS-injetado tem um resultado mais suave nos detalhes da miniatura, e os buracos e detalhes da carroceria são mais fáceis de serem feitos, além dos painéis que podem ser mais finos do que os de metal. 

Carros de verdade também estão substituindo várias de suas peças de metal por peças de ABS para baixar custos e tornar a manutenção mais barata, além de nunca sofrerem com oxidação. 

Com a nova tecnologia, o peso da miniatura acabaria ficando mais leve do que um feito de metal, mas o fabricante garante que o peso é equivalente aos modelos anteriores. Outra comparação que eles fazem é com modelos feitos de resina, uma tecnologia muito usada por vários fabricantes de miniaturas hoje em dia, mas segundo a AUTOart, modelos feitos de resina podem ser mais frágeis. Esse é o motivo das miniaturas feitas com resina não terem partes móveis, como portas ou capô (alguns até tem isso, mas usam ABS nas partes móveis). 

Outra vantagem é que o zinco cria bolhas de ar no processo de manufatura, e isso compromete a pintura. Com o ABS isso não acontece. Porém o ABS é menos rígido, e isso é um problema principalmente com partes móveis que podem abrir e não voltar mais para a posição exata. Para evitar isso, a AUTOart colocou dentro da estrutura da réplica um reforço de metal, como você pode ver nas fotos abaixo. Assim, o carro fica mais rígido, e impede qualquer torção. 

A idéia por trás dessa tecnologia é óbviamente baratear os custos de produção, já que o preço do metal está sempre subindo, e o do petróleo não para de cair. E segundo eles, é difícil diferenciar um modelo com a nova tecnologia com um feito antigamente. Veja abaixo algumas fotos do novo processo, e algumas novidades que eles estão mostrando na feira da Alemanha.

Novidades 30/01

Como você soube por aqui ontem, a Mattel está indo de mal a pior com seus resultados financeiros, e isso custou a cabeça do presidente da empresa. Mudanças virão por aí, e não só na Mattel, já que todos os fabricantes de miniaturas estão sofrendo com os custos maiores e com a mudança do perfil dos seus clientes. O que será de nós no futuro?

Enquanto o futuro não chega, ficamos com mais algumas fotos oficiais do lote “F” da linha básica Hot Wheels de 2015:

• Lamborghini Huracán LP 610-4 (New Model), Mazda RX-7 (2015 HW Workshop):

• Batmobile, Knight Draggin’ (2015 HW City):

• What-4-2 (2015 HW Race):

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Péssimos resultados da Mattel fazem seu presidente ser demitido

Essa foi a última semana de trabalho para Bryan G. Stockton, agora ex-CEO (Chief Executive Officer, cargo comparável ao de presidente) da Mattel, aonde estava desde 2012. Um dos motivos para a sua queda foi a divulgação de mais um relatório financeiro com resultados ruins, após anos de más notícias.

O resultado completo do último trimestre será publicado nesta sexta, mas a empresa já adiantou que as vendas globais caíram 6%, e agora estão em 1,99 bilhão de dólares, comparado ao volume de 2,11 bilhões do ano anterior. Com o anúncio, as ações caíram cerca de 11%, já que as previsões de Wall Street eram de uma queda menor.

E essa queda se deu justamente na época mais quente de vendas de brinquedos do ano, e pra piorar, as meninas agora preferem as bonecas do filme “Frozen”, ao invés da idosa Barbie. Os acionistas da Mattel também assistiram a empresa perdendo presença no mercado para outras fabricantes, como a Lego (agora a maior fabricante de brinquedos do mundo) e a Hasbro. Parte desse desastre também foi aprofundado pelo fortalecimento do dólar nos mercados internacionais, o que fez a receita em outros países cair.

Nesses quase 6 anos de T-Hunted temos sempre comentado por aqui os resultados financeiros da empresa, e a conclusão é sempre a mesma: a Mattel perdeu o rumo, e não sabe mais quem são seus clientes.

O mundo mudou, e as crianças agora não querem os mesmos brinquedos de 40 ou 20 anos atrás. Elas querem tablets, celulares, videogames. Suas mães, que são as responsáveis pela escolha e compra dos brinquedos, preferem produtos educativos, e não se interessam mais pelo que a Mattel oferece.

As crianças são hoje mais ligadas na internet, e se interessam pelo que todo mundo quer ter. Para citar o exemplo já falado por aqui, o filme “Frozen” foi um grande sucesso, e todas as meninas querem ser como a princesa do filme. O mesmo vai acontecer com outros lançamentos de 2015, e a Mattel vai perder o barco novamente. As meninas não querem mais ser como a Barbie.

Uma das saídas seria investir mais em mercados internacionais (já cansamos de falar isso por aqui), inovar nos seus produtos de uma forma a atender o que as crianças esperam, e mirar nos colecionadores. Mas não o colecionador tradicional de Hot Wheels, que já está se desencantando com a Mattel. Ela tem que criar novos colecionadores, fazer com que os adolescentes e os jovens que gostam de carros queiram comprar todos os Hot Wheels que puderem encontrar. E que cultuem a marca da mesma forma como os nerds amam a Apple, por exemplo.

Como esse é um site voltado aos colecionadores de Hot Wheels pelo mundo, e carrega nas costas o peso de ser o site mais lido sobre miniaturas de carros, podemos dizer que conhecemos um pouco dos colecionadores, e podemos afirmar que a velha fórmula da Mattel criar, produzir e distribuir miniaturas já não está mais funcionando como no passado. As crianças já não gostam tanto de carros esquisitos, e o colecionador não aguenta mais ver sempre os mesmos produtos com cores diferentes.

O Brasil era o mercado emergente mais importante da marca, mas eles também conseguiram derrubar as vendas de uma forma tão formidável, que merecia uma tese de doutorado para se estudar o caso. Ou talvez não, já que as falhas são simples de serem identificadas. 

Em um país onde apenas uma pequena parte da população tem acesso a brinquedos e tecnologias mais caras, pequenos carros de metal vendem como pão quente. Quer acabar com isso? Então aumente o preço do produto, piore sua distribuição, e deixe de vender para grandes mercados e cadeias de lojas. Eu vivo na maior cidade do país, e uma das maiores do mundo, e só encontro Hot Wheels em lojas de brinquedos. Não vejo mais em mercados, ou em lojas de conveniência ou naquela lojinha de bairro. 

Agora em 2015 veremos a Mattel vender produtos relacionados à saga “Star Wars”, mas eu aposto com você que os melhores produtos sumirão rapidamente das prateleiras, e o preço vai ser tão alto que pouca gente vai se interessar de fato pelas novas coleções. E tudo isso em um dos piores anos para a economia brasileira, com grande volume de demissões (sempre maquiado pelo governo), e com quedas assustadoras nas vendas do varejo. Tem tudo para ser mais um ano de maus resultados.

A Mattel precisa se reinventar. E logo. Em breve não haverá mais opções para a empresa que um dia já foi a maior fabricante de brinquedos do mundo.

Novidades da Greenlight em várias coleções e escalas

A Greenlight, como sempre, mostra suas novidades que chegarão em breve nas lojas, e entre elas está o belo Duesenberg II SJ na escala 1:18 em homenagem ao filme “The Great Gatsby” de 2013. Ele faz parte da série Hollywood, e já fica a torcida aqui de que ele apareça também em outras escalas.

Eles também mostraram as fotos do 1968 Dodge Charger e 1968 Ford Mustang Fastback, ambos do filme Bullitt (de 1968), e ambos na escala 1:43, também da série Hollywood. Na escala 1:43 também temos os dois 2014 Jeep Wrangler que você vê abaixo, e pra finalizar tem o 2015 Indianapolis 500 Event Car na escala 1:64, já na embalagem. Veja tudo o que já postamos sobre a Greenlight neste link.