Coleciona

Destaques:

sexta-feira, 1 de maio de 2015

A Mattel está saindo da crise?

Pelo menos essa é a opinião do banco Goldman Sachs em um relatório entregue a seus clientes nos EUA, e o resultado dessa análise fez com que as ações da empresa tivessem um aumento de 5,12% na última semana na bolsa de Nova York. Pode até parecer pouco, mas pra uma empresa que vem lidando com resultados negativos nos últimos anos, é uma ótima notícia.

E o que estaria por trás dessa melhora? Segundo o banco, o novo comando da empresa está tomando os caminhos corretos ao priorizar a cultura da inovação e enfatizar a necessidade de parcerias. Com isso o banco passou a recomendação para os investidores de que as ações da Mattel agora estão no nível “de compra”, e não mais no estado “neutro”.

O novo CEO da Mattel, Christopher Sinclair, disse que a empresa tomou várias atitudes para implementar uma reviravolta rápida nos primeiros 4 meses do ano, além de melhorar a contabilidade e tomar decisões melhores. É claro que você ouviria isso de qualquer homem na posição dele, mas será que uma empresa daquele tamanho consegue mudar tão rapidamente assim?

Alguns especialistas ainda vêem os números da Mattel com cautela, já que o crescimento e as mudanças comparadas com o ano anterior ainda são muito pequenas entre a média das empresas. Os números do último resultado da empresa comparados com o mesmo período do ano passado também mostram um cenário não muito animador, mas é possível ver uma reação.

Na opinião de quem está de fora, como nós, é interessante ver que a Mattel não engoliu bem ser passada para terceira maior empresa de brinquedos do mundo (depois da Lego e Hasbro nesta ordem), e que algumas boa atitudes já começaram a acontecer, como a recente parceria da marca Hot Wheels com a série de filmes Star Wars (parceria só possível com a recente compra da Lucasfilm pela Disney, o que fez a marca quase que cair no colo da Mattel), que vai trazer para a marca um público que não necessariamente consumia esses produtos. 

É visível também a aproximação com o colecionador adulto, com uma presença mais direcionada nas redes sociais e em eventos. Mas vou te dar uma dica Mattel: os colecionadores estão ficando velhos, e as crianças e adolescentes não estão interessados nos seus produtos. Está na hora de encantar essas pessoas e torná-las colecionadoras… 

Aqui no Brasil acontece um movimento interessante: todo o departamento de marketing da Mattel Brasil foi transferido para o México, e agora as decisões virão de lá (já vinham antes, mas agora centralizou mais).  Se isso vai ser bom ou não, não sabemos, mas pelo menos é uma mudança de caminhos, e só podemos torcer para que a nossa posição de terceiro maior mercado de Hot Wheels do mundo (agora atrás do México) se reverta. 

Apesar das notícias serem boas, ainda há um longo caminho para a Mattel realmente virar o jogo e não correr o risco de perder totalmente a sua relevância. Há um grande trabalho para ser feito principalmente na divisão “Wheels” (Hot Wheels, Matchbox e Tyco), e a empresa precisa ouvir mais quem coleciona e quem entende o que os colecionadores querem. Mais informações nesta matéria do site TheStreet.

13 comentários:

  1. Parabéns foi uma ótima matéria do dia

    ResponderExcluir
  2. Crise estou eu, Financeiramente falando! rsrsrs... A Mattel está na crise dela pq quer, se tomasse por base os consumidores estaria esbanjando dinheiro. Querem um exemplo? Se relançarem o Ecto 1, tanto na retro, quanto na mainline! Isso fora o Veyron, e alguns outros que foram sucessos no passado (e são até hj). Nem precisava investir muito, poderiam aproveitar os moldes já existentes e pararem de inventar as porcarias para crianças, que nem as crianças querem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, o Veyron eu fiquei sabendo que a Mattel já não tem mais a licença pra produzir, mas se tivesse já tava na hora de fazer um mais recente que seria top.

      E tão top quanto seria se fizessem uma versão do Koenigsegg Agera R pra linha básica porque eu to muito afim desse carro e não morro feliz sem ter uma mini desse carro e com certeza não tem mais como eu achar um desses da Retro num fim de mundo que nem Blumenau então acho que vou comprar uma forca e desacreditar na vida ._.

      Excluir
    2. Calma amigo Gabriel, eu sou carioca, mais moro no interior da Bahia e dou um conselho: Pesquise no face. Lá vc vai achar vários grupos em q vc pode comprar HW por um preço legal! Eu mesmo comprei o Mustang NFS e o Aston DBS por 25,00 cada!

      Excluir
    3. Bom, face eu não uso porque eu detesto :\ E também acaba sendo mais fácil pra mim ir nas lojas do que comprar sempre pela net. Mas já encontrei uma vez o DB5 (acho que era esse o nome) da Retro na Toni Toys que tá sempre colocando alguma coisa diferente nas gôndolas, mesmo que não seja lote novo, então quem sabe né :D

      Excluir
  3. É gente, ainda ha esperança.
    Os caras só parecem ser burros, mas não são. Tudo envolve grana e se a gente so vê "porcarias" pra criança por ai, é obvio que é isso que da grana pra eles....mas isso ta mudando! Outras marcas surgindo no mundo....dar mais atenção ao colecionador,....fidelização desde criança,... Enfim, ...eles vão se adequar e se Deus quiser nossos filhos ainda compraram coisas de qualidade pra colecionar no futuro.
    Eu acredito!!

    ResponderExcluir
  4. no aguardo de minis de modelos diferentes...

    ResponderExcluir
  5. Quem sabe uma luz no fim do túnel...(quase desistindo da Má-tel).

    ResponderExcluir
  6. Único detalhe é que na notícia diz que a melhoria foi devido a Barbie e não Hot Wheels...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um nem outro. Eles somente se referem à Barbie quando dizem que a Mattel é "a empresa que produz a Barbie"... Dá uma lida lá.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Boa noticia! Espero novidades , pois últimamente não encontro nem poeira de Hot Wheels!

    ResponderExcluir