Coleciona

Destaques:

domingo, 19 de março de 2017

A história da Racing Champions

Hoje vamos conhecer a história de uma fabricante que tem alguns dos modelos mais bonitos na escala 1:64 (ou aproximadamente isso!). Clique aqui e veja todas as postagens do Mauricio sobre a história do nosso hobby.

A história da Racing Champions (RC) começa com o encontro fortuito de Robert Dods e Boyd Meyer nos anos 80, onde Dods era um vendedor de brinquedos para várias empresas e Meyer um comprador de uma cadeia de lojas barateiras. Eles acabaram por formar, em 1989 em Glen Elyn, Illinois, EUA, uma sociedade para representação de produtores para venda de produtos para lojas de venda em grande varejo. 

Dessa sociedade, eles partiram para produção de modelos em miniatura feitos por eles e escolheram começar com modelos em miniatura da NASCAR. Dods partiu para Hong Kong e contratou serviços locais para produção da mercadoria na China. Era o ano de 1994 e a Racing Champions já tinha escritório com 40 empregados para serviços burocráticos e projeto gráfico, controle de qualidade e logística das miniaturas, que eram produzidas na China e Hong Kong em onze produtores distintos. 

Conseguir as licenças da NASCAR e dos fabricantes dos automóveis foi mais complicado, mas Dods e Meyer tiveram sucesso e conseguiram as licenças da NASCAR, Indycar, World of Outlaws sprint cars, e IROC (International Race of Champions). 

Em 1992 Richard Petty fez sua última temporada de corridas e a RC lançou 30 carros diferentes do piloto e vendeu só de cópias de modelos de Richard Petty nesse ano um milhão de cópias. Foi um festival Richard Petty em todas as escalas que a empresa trabalhava!

O braço americano da RC em Illinois era responsável pela distribuição nos EUA e a subsidiária de Hong Kong responsável pela produção local e na China. Em 1996 o fundo de investimento Delaware entrou de sócio em um processo de capitalização e ficou com o controle acionário (54,4%) após aporte de 96 milhões de dólares. Dods e Meyer ficaram com os 45,6% restantes do negócio e em seguida o novo grupo fez uma oferta pública de ações na bolsa de Nova York.

Nada que é bom dura para sempre no mundo corporativo. A Racing Champions vendia majoritariamente no mercado de miniaturas de NASCAR e após o seu sucesso duas gigantes do mundo de brinquedos entraram também nesse mercado. Mattel e Hasbro (via Winner’s Circle) resolveram entrar no negócio de miniaturas de carros de corrida no início dos anos 90.

A competição mais acirrada não foi por espaço em gôndolas dos pontos de vendas e sim pelas licenças dos pilotos. A licença de Jeff Gordon com a RC terminou em 1995 e ele assinou com a Action Performance / Hasbro (Winner’s Circle). De mesma forma, a RC perdeu também Dale Earnhardt para a Winner’s Circle. A perda dessas e outras estrelas da NASCAR causou diminuição sensível nos resultados da RC.

Para tentar reverter a perda de resultados a RC em abril de 1999 comprou a ERTL de Dyersville Iowa, EUA, uma empresa com foco em miniaturas agrícolas, mas inclusive maior do que ela própria. Dentro do negócio estava a planta de produção da ERTL no México, mas com o controle pela RC essa planta foi fechada e a produção da ERTL foi toda enviada para China e Hong Kong.

As vendas brutas da RC aumentaram 47,9% com o aporte das vendas da ERTL, mas o lucro caiu muito pois o custo da reestruturação da nova empresa consumiu 6,4 milhões de dólares do lucro e esse lucro não realizado derrubou a cotação das ações do novo grupo em bolsa. Para piorar tiveram algumas ações legais perdidas o que consumiu mais ainda o minguado lucro. No terceiro trimestre de 1999 a RC estava fragilizada financeiramente e conseguiu ainda barrar duas tentativas hostis de perda do controle acionário pelos grupos Tower Hills Holdings e Enna Corporation, mantendo-se sob o controle da Delaware e de Dods e Meyer.

Em uma tentativa de melhoria dos resultados a RC tentou diminuir sua dependência das grandes lojas, onde as margens de venda da RC eram muito pequenas, dessa forma limitou à 45% das vendas em grandes lojas e o restante seria vendido em lojas especializadas e em vendas diretas com um novo “website”.

Em 2004 a RC2 Corp comprou a Racing Champions e a Playing Mantis (Johnny Lightning). Agora sob o mesmo controle, assim como a ERTL a RC também teve modelos seus vendidos como Johnny Lightning. No Ford Cobalt Pro Stock a miniatura vem em cartela e tem pintura específica da Johnny Lightning, mas o modelo tem na base o logotipo Racing Champions.

Em seguida, em 2011, ambas as empresas foram compradas pela TOMY International, braço internacional da Tomica japonesa.

Em 2015 a Round2 LLC de Thomas Lowe negociou com a TOMY as licenças de uso dos moldes da antiga Racing Champions e voltou a produzir miniaturas com essa lendária marca.

A RC também, trabalha com escala de 3 e ¼ polegadas (3,25 polegadas) e quem acha que ela tem algumas miniaturas maiores do que a média dos fabricantes está correto!

Como todos os fabricantes de miniaturas, as séries são muitas e embora focadas em corridas, também tem séries de modelos de passeio. Motor Trend, Hot Rod, Classified Classics, Video Racers, The Originals, Chase the Race, NASCAR Rules, Rockin’ Steel, Lowriders, NHRA e The Platinum Club entre outras compõem o acervo de séries da RC.

Seguindo uma tendência da maioria dos fabricantes de miniaturas a RC tem caixas com três ou cinco miniaturas, também, para venda.

Ainda no mundo das corridas a RC tem bonitas miniaturas dos caminhões transportadores.

A RC também tem miniaturas da franquia Fast And Furious e lançou 12 séries diferentes dessa franquia em embalagens individuais.

A franquia licenciou também seis embalagens duplas das miniaturas e essas a RC lançou quatro como Racing Champions / ERTL Collectibles e duas como Joy Ride / ERTL Collectibles.

Pela diagramação das caixas vemos que são as mesmas, mas a da esquerda tem o logotipo da RC no canto superior esquerdo e o logo American Muscle / ERTL Collectibles no canto inferior direito. Já a caixa da direita tem no canto superior esquerdo o logotipo Joy Ride, uma antiga marca da ERTL e no outro canto o mesmo logo da caixa da esquerda.

Bem procuradas pelos colecionadores são as séries comemorativas dos 50 anos da NASCAR onde a RC produziu miniaturas folheadas a ouro 24 quilates em várias escalas.

A série Indy 1:64 da RC tem algumas miniaturas muito queridas pelos nossos colecionadores.

Hoje sob o domínio da Round2 LLC só podemos esperar que muitas outras belas miniaturas do acervo RC continuem a ser relançadas como as abaixo

Como colecionadores esperamos que a RC não só relance seus antigos modelos, mas que também crie novos modelos mantendo a qualidade e a tradição da marca.

Referências:


Um comentário:

  1. Bacana materia Douglas, legal a Nascar e as minis de corridas estarem tendo mais espaço no blog, mesmo que indiretamente rs.

    ResponderExcluir