Coleciona

Destaques:

domingo, 26 de junho de 2016

Matchbox Models of Yesteryear

O Mauricio Nunes está de volta por aqui hoje para nos contar sobre os incríveis Models of Yesteryear da Matchbox, uma das séries mais bonitas da história da marca! Clique aqui e veja todas as histórias que já publicamos nos últimos domingos.

Os primeiros Model of Yesteryear (MOY) foram lançados em 1956, eram três modelos e foram lançados na Feira de Brinquedos de Harrogate. Em 1959 Leslie Smith e Jack O’Dell definiram que a série teria 14 modelos por ano. Os modelos eram vendidos em caixas semelhantes às caixas dos modelos 1-75 de três polegadas e eram todos de metal, inclusive as rodas.

Ainda em 1959 A Lesney pagou a J. Kohnstam & Co. Ltd, seu sócio igualitário e distribuidor (MOKO), pelo nome “Matchbox” a quantia de 80 mil Libras Esterlinas para ficar como única dona da marca e em seguida, tornou a empresa pública.

Os nove primeiros modelos tinham a caixa denominada “A” com um desenho preto e branco da miniatura.

A coleção foi aumentando e sendo atualizada nos modelos e nas caixas, como as caixas tipo “B” abaixo, agora com os números da miniatura no lado da caixa.

Para comemorar o lançamento de ações na bolsa de Londres, foi lançado o modelo Y-15-1 “1907 Rolls Royce Silver Ghost”. Esse modelo foi o primeiro a usar mais material plástico que conseguia imprimir maior riqueza de detalhes e cores, e a Lesney o anunciou no “Veteran and Vintage Magazine” uma revista especializada em carros para colecionadores e esse modelo catapultou a venda dos MOY para o público.
Esses 15 modelos são conhecidos como a primeira série dos MOY e já são todos na caixa tipo “C” onde alem do número, na lateral das caixas havia também o nome dos modelos.

Em 1960 a série foi aumentada para 16 modelos por ano, e a partir dai começaram a criar outros modelos e substituindo outros como o costume de todas as linhas de produção Matchbox. Abaixo, o Y-16 1904 Spyker.

Ao completar 16 modelos as caixas foram mudadas para ilustrações coloridas das miniaturas, as caixas “D-1”. Nas caixas “D-2”, alem das miniaturas havia detalhes no fundo da imagem, como uma cena típica da época do modelo. Seguiu-se a série com as caixas “D-3” onde alguns pequenos retoques foram dados nas fotos e fundo, mas a principal mudança foi no nome “Models of Yesteryear” que passou para baixo da caixa e no destaque da parte de cima veio a marca Matchbox. Nos modelos da caixa “E” as fotos do modelo passaram a vir estampadas também nas laterais. As caixas “E-1” são as mesmas anteriores, só que o nome “Matchbox” passou a vir com o R de marca registrada ao lado. Para cada série de caixa os modelos mudam de posição dentro da série e são substituídos por outros ao longo do tempo, fato corrente até os dias de hoje na linha 1-125 atual da Matchbox. Abaixo as caixas D-1, D-2, D-3, E e E-1.

Os MOY sempre foram os preferidos de Jack O'Dell, por assim dizer. Jack sempre se envolveu diretamente na produção e projeto dos modelos. Ele tinha especial apreço pelos modelos a vapor e sempre entendeu que os MOY eram mais para colecionadores do que para crianças. Porém, veio a crise de 1973 onde a Lesney e o mundo foi afetado pelo primeiro “Choque do Petróleo”, onde os produtores diminuíram a produção, elevando o preço do barril de US$ 2,90 para US$ 11,65 em apenas três meses. As vendas de óleo para os EUA e a Europa também foram embargadas pelos produtores árabes, nessa época, devido ao apoio dado a Israel na Guerra do “Yom Kippur”. Com a falta de petróleo o Reino Unido restringiu a produção de plásticos, e aliado a isso no primeiro trimestre de 1973 houve uma medida do governo Inglês para poupar energia que foi a semana de três dias. Sem energia e plástico suficientes para tocar todas as fábricas, Leslie Smith optou por privilegiar os Superfast e isso causou um sério atrito entre Jack e Leslie terminando com o pedido de aposentadoria precoce e retirada da sociedade de O’Dell. 

Jack Odell & Leslie Smith. Foto original do MICA:

Em 1973 os modelos constavam do catálogo, mas por definição do diretor Leslie Smith, não foram produzidos. Somente o estoque foi vendido.

Em 1974 os MOY voltaram, mas em nova forma. Os primeiros modelos da nova série foram: Vauxhall e Riley.

Eram modelos maiores, com rodas padronizadas e mais largas e cores brilhantes e metálicas, afastando-se dessa forma da ideia original de O’Dell de serem modelos fiéis de colecionadores e aproximando-se mais de brinquedos, como queria Leslie Smith.

Nunca mais os MOY voltaram ao padrão e formas originais definidos inicialmente por Jack O’Dell. Cada hora modelos da série eram reeditados ou criados, mas sob novo nome de série. De 1974 até 2006, passando por: Lesney, Matchbox Universal, Tyco e Mattel tiveram nomes de série como: 1974 “Woodgrain Series”, 1978 “Beckenham Appeal Models”, 1982 “Limited Edition models”, 1984 “Connoisseur Collection Set”, 1985 “First Special Limited Edition”, 1986 “Diorama Models e Grand Prix models”, 1987 “Passport Scheme”, 1989 “Guinnes promotion”, 1989-90 “Great Motor Cars of the Century”, 1991 “Chinese Six” e “Antiques Road Show models”, 1994 “Christmas Treasures” e 2006 “New 2006 Yesteryear Models”. Sendo esse ultimo um relançamento de novos moldes pela Mattel de alguns moldes antigos onde não houve nenhuma menção na base das miniaturas do nome “Models of Yesteryear” ou mesmo do tradicional “Y” seguido do número da miniatura, o nome vinha apenas nas caixas.

Essa derradeira “fornada” de MOY rebatizada, foi um fracasso. Pode ter sido o longo hiato sem produzi-los ou o mercado ter mudado, ou mesmo o preço de um modelo maior que afugentou os compradores ou a escolha dos modelos que não agradou ao público, mas o fato é que as vendas foram pífias e nunca mais se ouviu da Mattel qualquer menção aos MOY.

A ironia disso tudo é que em 1980, quando a situação da Lesney era difícil, Leslie Smith conseguiu trazer Jack O”Dell de novo como vice-presidente, mas era tarde demais para salvar a companhia. Em 1982 com a falência da Lesney e o fim dos anos Superfast e início dos anos Universais, Jack comprou parte do maquinário e os moldes das séries iniciais dos MOY e passou a produzi-los na empresa que fundara, a Lledo (O’Dell ao contrário) e isso foi feito até a venda da Lledo para Mettoy, dona da Corgi que até hoje produz alguns dos modelos na série “Days Gone”.

O Y9-1 “Fowler Showmans Engine - Big Lion” até hoje é produzido pela Corgi, modelo Lledo, na série “Days Gone”.

O Y-4  “1904 Shand Mason Horsedrawn Fire Engine” também continua a ser produzido, só que os cavalos e bombeiros agora são de plástico e outrora eram de metal. Interessante que não sabemos se por contrato ou outra razão financeira, os modelos da Lledo saem em caixas Corgi, mas nos modelos em si somente aparecem o nome do fabricante como Lledo até a presente data.

Para o verdadeiro colecionador de MOY, as séries acabaram em 1973, quando o “mago” Jack O’Dell deixou de projetar os modelos com a riqueza de detalhes que o fez famoso no ramo.

Para quem quer começar, uma alternativa barata é comprar os modelos “Days Gone” que custam em torno de cinco Libras hoje e conservam a “mágica de O’Dell”. 

Referências:
Lesney’s Matchbox Toys – Regular Wheels Years, 1947 – 1969 – Charlie Mack – Schiffer Editions – 2nd  edition – ISBN: 0-7643-1193-X


3 comentários:

  1. Nossa muito legal ! Adoro esses modelos a vapor . O bom é que quando se sai do senso comum , o arroz e feijão não se vê muitos comentários ruins por aqui . Deveria-a-se saber mais sobre o que se coleciona antes de dar pitacos .

    ResponderExcluir
  2. Sou apaixonado por carros antigos, comprei alguns MOY no EBAY, e confesso que foi um tanto salgado.
    São versões já com bastante plástico e até borracha nos pneus. Mas são miniaturas fantásticas.
    O que estranhei e não havia percebido nas imagens é que seu tamanho é um pouco maior que os HW e MB comuns. São miniaturas de tamanho mais próximo às da escala 1:50. Isso pode dificultar sua colocação nas pratileiras tradicionais... mesmo assim valem muito a pena.

    ResponderExcluir
  3. a primeira série dos MOY tem vários tamanhos. Se você pegar o Y-8 (Morris Cowley) e colocar do lado do Ford Model A dos 1-75 eles são quase do mesmo tamanho. já outros como o Y-16 (Rolls Royce) são praticamente 1:43. A partir de 1973 todos ficaram grandes realmente. Não há modelos em escala inferior a 1:43 depois de 1973.

    ResponderExcluir