Coleciona

Destaques:

domingo, 14 de agosto de 2016

A história da Siku

Hoje tem mais uma grande história de um grande fabricante de miniaturas contada pelo nosso “contador de histórias” Mauricio Nunes. Clique aqui e veja todas as postagens sobre a história do nosso hobby.

Em 1950 o Grupo Sieper, que iniciou em Lüdenscheid em 1921, na Alemanha, com uma fundição de alumínio, registrou a marca SIKU (SIEPER KUNTSTOFFE = Plásticos Sieper) e lançou na Primeira Feira de Brinquedos de Nuremberg um caminhão de bombeiros de plástico.

A SIKU demorou até definir qual escala faria suas miniaturas de automóveis de plástico. A escala 1:43 daria a miniatura os detalhes que gostariam que ela tivesse, mas a faria muito cara para o volume que precisariam vender. A escala 1:87 encontraria competição feroz de outro fabricante Alemão de brinquedos a Wiking (por ironia, a Sieper comprou a Wiking em 1984). Acabaram optando pela escala de 1:60 que aliava riqueza de detalhes suficiente para os padrões definidos e também custo competitivo.

Em 1963, seguindo a trajetória de outros concorrentes na Europa, a SIKU lançou 16 miniaturas de automóveis em liga de zinco-alumínio (ZAMAC), abandonando paulatinamente a produção dos veículos de plástico e migrando para uma escala de 1:55 nessas miniaturas de metal.

As miniaturas iniciais da SIKU eram muito bem elaboradas e como alguns modelos da linha 1:43 da Corgi, apresentavam faróis de “strass” (cristal).

Em 1983 a SIKU lanços seus modelos agrícolas em escala 1:32 que são seu carro chefe de venda hoje.

A SIKU fabrica miniaturas metálicas de carros, caminhões, máquinas agrícolas, veículos de emergência, de construção civil, navios, entre outros, em diversas escalas que vão desde 1:1400, geralmente barcos e navios de grande porte. 

Passando pela escala 1:87 de caminhões e máquinas extremamente detalhados, todos em metal, sempre vendidos em caixas com interior termo formado para suportar a miniatura. 

A escala 1:87 para caminhões fornece miniaturas muito próximas da de veículos na escala 1:55 e a ideia é que fiquem juntos.

A série SIKU Super 1:87 é uma série especial com mais foco em caminhões e máquinas.

O Pistenbully é uma máquina que usa a pá dianteira para alisar e a traseira para afofar pistas de esqui.

Ao se girar o pino o guincho da grua se movimenta para cima e para baixo. A Grua toda tem movimento telescópico e de 360º. 

A escala 1:55 (10 cm) é a dos produtos de combate da marca. Os produtos são vendidos em blister e a preços que variam de 2,39 a 4,99 Euros na Europa a depender da série do modelo, definida pela cor do triângulo no lado esquerdo superior da embalagem.

Na escala 1:55 a SIKU trabalha com todo tipo de veículos.

Segmento Agrícola:

Carros Esporte:

Taxi:

Carros de Passeio:

Carros de Serviço:

Caminhões e Carretas:

A escala de 1:50 (18 cm) são miniaturas, geralmente ampliadas da escala 1:55 (10cm), com maior riqueza de detalhes e embalagem especial. 

Na escala 1:50 existem as maquetes montáveis de plástico da série SIKU World que são para serem usadas tanto com miniaturas 1:50 como com as 1:55.

A escala seguinte é a 1:43, chamada de SIKU Racing, onde estão as miniaturas rádio controladas, e a SIKU vende também uma pista para as “corridas” rádio controladas. 

A escala 1:32 tem modelos rádio controlados, todos em metal ricamente detalhados, mas com preços salgados. 

Mas também tem os modelos mais simples, geralmente agrícolas, ainda caros, mas mais acessíveis.

SIKU no Brasil

Na década de 80, para fugir aos altos tributos alfandegários, a SIKU como outras produtoras de miniaturas, resolver licenciar suas miniaturas para um produtor brasileiro (Brinquedos REI) e produzir modelos na Zona Franca de Manaus.

Trabalhando em várias escalas e com uma vocação para detalhes, A SIKU é dirigida ainda hoje pela terceira geração da família Sieper que a criou em 1921. É memorável que essa mesma família tenha atravessado a 2ª Grande Guerra e todas as atribulações e crises que sabemos afetou tantos outros fabricantes de miniaturas tradicionais e permaneça economicamente sadia e presente no mercado mundial de miniaturas do século XXI.

Referências:

2 comentários:

  1. Gosto muito das miniaturas da Siku, lamento somente ter 3 exemplares na coleção, pois não são muito comuns de serem encontrados, lembrando que 2 ganhei da querida amiga Giovanna Spada as quais guardo com muito carinho.

    ResponderExcluir
  2. Cresci com Siku, era ela e Matchbox que eu tinha quando pequena e até hj me doi em saber que guardei nenhum carro daquela época em que era só brinquedo.

    Consegui recuperar alguma coisa que foi até do meu pai e do meu tio mas bastante detonado, mesmo assim vale a pena que são modelos sensacionais.

    Sem dúvida os maquinários são os mais legais, sempre fico na vontade de comprar.

    E só lembrando, a Siku envia o catálogo de modelos para qualquer lugar do mundo totalmente de graça, entrando no site deles.

    ResponderExcluir