Coleciona

Destaques:

domingo, 15 de maio de 2016

Matchbox Roda “Transitional”

Hoje temos mais um belo texto contando a história do nosso hobby, escrito pelo Mauricio Nunes. Quer ver as outras matérias desta série? Clique aqui!

O ano era 1968, ano difícil em todo o mundo. Manifestações estudantis em Paris, movimentos anti-guerra do Vietnã nos Estados Unidos, a utopia pela democracia em Praga destroçada pelos comunistas soviéticos, a luta pelo fim da ditadura no Brasil que acabou gerando o famigerado AI-5. Depois de 1968, o mundo nunca mais foi o mesmo e seus efeitos são sentidos até hoje.

No mundo em miniatura, 1968 também foi emblemático. A aparição de um concorrente de peso mudou o mundo das miniaturas de três polegadas. Mas com tudo isso ocorrendo mundo afora e em uma década pré-computador onde os meios de comunicação mais rápidos eram: a TV (sem satélite), o correio e o telefone intercontinental por cabo submarino, onde se solicitava uma “linha” à telefonista e depois de no mínimo duas horas você a conseguia. Nada de “e-mail”, “Facebook”, “Instagram”, “Whatsapp” e outros “Apps” ficava difícil e lento saber o que acontecia em outra cidade e pior ainda em outro continente. Mas a chegada dos Hot Wheels da Mattel, os chamados “Sweet Sixteen” de 1968 e suas pistas, começou a minar as vendas da então hegemônica Matchbox.

Com os moldes da coleção de 1969 já prontos em 1968, a Matchbox tomou ciência da ameaça a que estava submetida e conseguiu contra-atacar gerando as miniaturas com “transitional wheels”, as famosas rodas “Transitional” como chamam os colecionadores. Mas o que são “Rodas Transitional” afinal? Para responder essa pergunta, precisamos saber que rodas eram usadas antes e o que os “Sweet Sixteen” da Mattel trouxeram de novo e inovador.

Sem juízo de valor, seguem abaixo os 16 carros que a Mattel introduziu em 1968 e que mudaram a forma das crianças da época brincarem com seus “carrinhos”. Essas eram miniaturas que deslizavam muito mais suave do que qualquer outra de seu tempo e dessa forma, poderiam ser usadas nas pistas Hot Wheels.

Analisando uma das miniaturas de perto, podemos verificar que a ideia é muito boa e se resume em pura física: diminuição do atrito entre roda, eixo e pista. Os eixos passaram a ser muito mais finos e polidos, e as rodas tinham um friso sobressaltado no fundo da mesma que era a única parte da roda a efetivamente ter contato com a superfície em que a miniatura estava. Essa primeira leva de miniaturas em 1968 da Hot Wheels tinha um friso vermelho nas novas rodas e ficou conhecida com “redlines”.

Bem, e como estava a Matchbox, líder de mercado em 1968? Toda a sua linha rodava com as “regular wheels”, as rodas regulares, grossas, com eixo grosso e de rolagem dura e difícil se comparadas às “redlines” que equipavam os “Sweet Sixteen” da Mattel.

Porém, em 1969 iniciou-se a reação da Matchbox e alguns modelos já foram lançados com a roda Superfast Transitional. Um conjunto de rodas e eixo semelhante aos “redlines” da rival Mattel. Os eixos eram finos e polidos e as rodas eram mais finas que as “redlines”, mas usavam a mesma ideia de baixo contato com a superfície e tinham um friso sobressaltado no meio das novas finas rodas. O Lamborghini Miura de 1968 possui o conjunto original das “regular wheels”, já a modificação de 1969 foi produzida com o novo conjunto (rodas e eixos) Superfast Transitional.

Mas inicialmente essas rodas “Transitional” eram bem mais finas que as atuais, pois precisavam caber nos moldes feitos para as rodas regulares. 

Em sua forma definitiva, as rodas Superfast Transitional migraram para uma forma mais semelhante às rodas “redline” da Mattel.

Não bastassem os problemas de fixação de um eixo novo, muito mais fino, as rodas “redlines” eram bem mais grossas e parte dos moldes de 1968 da Matchbox não suportava uma modificação desse porte nas rodas mais largas, e em alguns casos foi preciso desbastar em ferramenta de corte parte dos para-lamas dos modelos onde as rodas Superfast definitivas (não “transitional”) foram usadas.

Os modelos Lotus Europa lançados novos em 1969 já saíram de fábrica com as rodas Superfast Transitional.

Porém, o modelo de 1977 já foi equipado com a roda Superfast tradicional.

BMC 1800 Pininfarina, também um modelo novo de 1969, manteve a roda Transitional de 1969 a 1971, e em 1972 o modelo foi torneado em máquina para ganhar a sua roda Superfast definitiva. Essa modificação para aproveitar os moldes existentes, na verdade descaracterizavam os modelos originais, mas foi o preço que a Matchbox pagou para correr atrás da ameaça da Hot Wheels com mais rapidez. A alternativa de mudança de todos os moldes necessários, não só seria astronomicamente cara como inviável para o tempo disponível de reação da Matchbox.

Foi então em 1969 que a Lesney Products sofreu sua maior ameaça, e a segunda edição de seu catálogo de 1969 já introduzia a nova tecnologia Superfast. Em um esforço grandioso nos anos seguintes de 70 e 71 praticamente todo o plantel de miniaturas da Lesney foi modificado para o padrão Superfast de rolagem. Até mesmo os Matchbox King Size foram modificados e passaram a ter rodas Superfast e foram denominados Super Kings. 

Lesney’s Matchbox Toys – the Superfast Years, 1969 – 1982 – Charlie Mack – Schiffer Editions – revised 3rd edition – ISBN: 978-0-7643-3321-7
Lesney’s Matchbox Toys – Regular Wheels Years, 1947 – 1969 – Charlie Mack – Schiffer Editions – 2nd  edition – ISBN: 0-7643-1193-X

11 comentários:

  1. No canal baremetal no youtube tem a restauração de um Mustang redline vermelho , se não me engano deve ser igual ao da foto.

    ResponderExcluir
  2. Essa série tá cada vez melhor! Parabéns! Demonstra um amadurecimento do blog!!! Cada vez mais fã... em breve vou comentar algo no meu blog (http://dcvehiclesdiecast.tumblr.com/) sobre essa série do T-Hunted, pois merece a devida atenção!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Gostei da matéria. parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Muita informação boa! Legal mesmo!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o texto, é uma parte da história das duas marcas que não conhecia, mais interessante ainda é ver a evolução, as mudanças nas próprias miniaturas, para um colecionador que busca compor um acervo assim é maravilhoso.

    Parabéns por mais este post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem. Agradeço a todo(a)s as palavras e fico feliz de poder estar dividindo esse conhecimento com vocês! Quando nosso amigo Douglas me pediu para fazer esses artigos, fiquei na dúvida se teria boa acolhida, mas estou vendo que tiveram. Isso é bom pois fico mais estimulado em trabalhar nos outros artigos que tenho em mente!
      Abs
      Mauricio Nunes

      Excluir
  6. Muito boa matéria.
    Mais uma vez devo agradecer por este conteúdo.

    ResponderExcluir
  7. Cara, que matéria! Digna de aplausos, parabéns ao Douglas e ao Mauricio, matérias como essa nos fazem perceber que nosso hobby é mais completo e sério.
    Que venham mais matérias como essa.
    Realmente estão de parabéns!!!

    ResponderExcluir
  8. Excelente! Parabéns pela matéria, conhecimento é sempre bem vindo, ainda mais se for sobre coisas que gostamos. Sem dúvida o blog T-Hunted é leitura obrigatória diária. Abraços

    ResponderExcluir
  9. Essa matéria esta excelente!!! Muito bom acompanhar aqui no blog a historia desse maravilhoso hobby!!!

    ResponderExcluir